Exposição Itinerante

A Nossa Vitória É Apenas Questão de Tempo

A Nossa Vitória É Apenas Questão de Tempo

Memória da Resistência do Povo de Timor-Leste

Título da Exposição realizada em Dili, pela Fundação Mário Soares, a solicitação do então Presidente da República, Kay Rala Xanana Gusmão, e do Ministro dos Negócios Estrangeiros, Ramos-Horta, no âmbito das comemorações da Restauração da Independência de Timor-Leste, a 20 de Maio de 2002.

08008.003.008 – Entrada na exposição  “A Nossa Vitória é Apenas Questão de Tempo”,  nas actuais instalações do AMRT, IP. (foto em anexo)

“A Nossa Vitória é Apenas Questão de Tempo” - palavra de ordem  de Nicolau dos Reis Lobato, (AMRT. 05005.012) II Presidente da RDTL e Comandante-em-Chefe das FALINTIL, Presidente do Comité Central da FRETILIN, tombado no campo de batalha, em Mindelo, Turiscai, a 31 de Dezembro de 1978 -  resulta de um projecto conjunto da Fundação Mário Soares, da Associação dos Veteranos da Resistência, do IASI (International Institute for Asian Studies and Interchange) e da Biblioteca da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Contou, também,  com inúmeras colaborações, em Timor-Leste, na Grã-Bretanha, na Indonésia e em Portugal, que se empenharam na recolha, identificação e selecção dos documentos nela utilizados e, bem assim, na sua contextualização, destacando-se a colaboração da CDPM (Comissão para os Direitos do Povo Maubere) e da TAPOL, a organização da defesa dos Direitos Humanos da Indonésia.

Nas vésperas da proclamação solene da Restauração da Independência de Timor-Leste, que conta com o reconhecimento unânime da Comunidade Internacional, incluindo a Indonésia Democrática, a Exposição constitui um modesto contributo de homenagem à Resistência do Povo de Timor-Leste e aos seus mártires, aos seus heróis e aos seus símbolos, penhores imorredouros da identidade nacional e do amor à liberdade do Povo Timorense.

Composta por 50 Painéis, e integrando-se, então, no esforço mais vasto de salvaguarda da documentação relativa à Resistência do Povo de Timor-Leste, esta Exposição está organizada temática e cronologicamente - numa abrangência do interior do território e o do Exterior - procurando uma abordagem genérica dos 24 anos da guerra provocada pela invasão e ocupação militar das forças indonésias.

O local escolhido para a sua realização foi Antigo Tribunal colonial português - usado como espaço administrativo durante a ocupação militar indonésia e  parcialmente destruído e incendiado durante a onda de violência de Setembro de 1999 – hoje sede do AMRT, após processo de conservação e reabilitação.

Traçando um quadro histórico geral da Resistência do Povo de Timor-Leste, ainda que necessariamente breve, esta Exposição permitiu reunir um conjunto significativo de documentação proveniente de diversas origens, institucionais e privadas, nacionais e estrangeiras.

Foi inaugurada em Dili a 17 de Maio de 2002, com a presença de Sérgio Vieira de Melo, Representante Especial do Secretário-Geral da ONU em Timor-Leste e Administrador Transitório do território, do  Presidente da Republica, Xanana Gusmão, do Primeiro-Ministro, Mari Alkatiri, do Ministro dos Negócios Estrangeiros, José Ramos- Horta, do Embaixador de Portugal e de numerosas personalidades portuguesas e timorenses e antigos combatentes.

Pretende ela ser um singelo, mas profundo e sentido tributo a todas as Mulheres e Homens que, durante anos e anos, com coragem, espírito de sacrifício, abnegação, sofrimento incomensurável, lutaram pela Autodeterminação da sua Pátria; o Reconhecimento do Épico e Heróico da Resistência do Povo Timorense ao ocupante, ímpar Movimento de Libertação no Mundo.

Voltar