Abrigo de Soru Kraik

Detalhe de abrigo

CONSTRUÇÃO
O Abrigo de Soru Kraik assumiu papel central nas movimentações do Comando da Luta naquela área, onde procedia à reorganização da Resistência e, sobretudo, depois do Cerco a Bunaria, Agosto de 1990, onde tinha sido estabelecido o Quartel-General do CNRM,  (Conselho Nacional da Resistência Timorense).
Xanana Gusmão, Konis Santana e Ma`Huno conseguiram romper o cerco e entrar em Suro Kraik, onde as populações os esconderam das forças ocupantes, em locais diferentes.
Lemorai recorda que em 1990 O Katuas (Velho – Xanana Gusmão) estava no Mato, e mandou a informação, através de Joni Mane Mesak, para reunirem e decidir o local para escavar um Abrigo, pois a situação era muito difícil na área, com presença maciça das forças militares indonésias.
“Reunimos para ver a forma, sobretudo, a disposição de cada um dar resposta ao apelo ou recomendação. Porém, por mil receios, os participantes da reunião atribuíram-me  a responsabilidade da execução, argumentando que eu era o melhor a falar "bahasa", que o inimigo ainda ignorava as minhas actividades, de que  eu era da FRETILIN e que tenha feito algum trabalho com os do mato. Por isso, a pessoa indicada para esconder o Velho fui eu.
Algures em Novembro de 1990, dia já difícil de precisar por Lemorai, o buraco, com a dimensão de 2x2metros, foi escavado numa só noite, num dos quartos da casa, toda a terra levada para o leito duma pequena ribeira nas imediações.
Numa noite cerrada, igualmente difícil precisar a data, “fomos ao encontro do Katuas e trouxemo-lo para aqui, com o seu escolto, o Nabilan, e depois, mais tarde, vieram mais dois, o Lasudur e o Mali Kiak. Entraram para o quarto do Abrigo, ninguém soube, nem a minha mulher, estavam na cozinha.”
O Abrigo subterrâneo era utilizado por Xanana quando alguém se aproximava da casa, como explica Lemorai: “Mandávamos o katuas ir para baixo.”
A segurança, entenda-se vigilância dos movimentos na proximidade da casa, era fundamental em cada um dos abrigos, à responsabilidade, por norma, das crianças, onde, também por norma, havia sempre um cão.
“Naquele momento os meus dois filhos é que faziam segurança, um ainda era pequeno”. Explica que “o Katuas vinha para cima, mandava aos rapazes brincar na varanda, se vissem algum indonésio vir, naquela altura eu tinha um cão chamado Merdeka, então eu dizia-lhes: “quando vier algum indonésio chamam o cão que é para o avô descer para o buraco, para ninguém o poder ver. Depois vão brincar, para que o lugar não fique vazio e ninguém desconfie deste lugar.”
Apesar dos militares indonésios permanentemente rondarem a casa, e de, diariamente, irem ao quiosque comprar cigarros, nunca foi detectado o Abrigo.
BIOGRAFIA
Gil de Araújo, nome de código Lemorai (viajante, vadio) nasceu a 1 de Janeiro de 1956 em Soru Kraik. Nunca frequentou a escola. Sua profissão agricultor.
Durante o longo período de ocupação militar de Timor-Leste pelas forças indonésias trabalhou intensa e permanentemente na atividade clandestina, no maior dos sigilos, nem a família tinha conhecimento da sua actividade, o que lhe valeu prisões e mais prisões, torturas de toda a espécie, fugas heroicas, no entanto nunca teve qualquer cargo formal na estrutura da Luta.
Arriscou a sua vida, da sua família, da aldeia, ao aceitar participar activamente na libertação da sua Pátria, no entanto diz que nada fez de extraordinário, diz-se “um simples homem do Povo”.
Um dos momentos difíceis que recorda, com um sorriso triunfante, é a sua captura e prisão, onde, mais uma vez, resistiu às mais inimagináveis torturas, logo após o cerco a Soru Kraik, onde estavam Xana Gusmão, Konis Santana e Ma`Huno, que ali se esconderam depois do cerco a Bunaria, Agosto de 1991, onde tinha sido estabelecido o Quartel-General do CNRM.
FICHA TÉCNICA 
Ano de construção: 1990
Local: Suro Kraic, Ainaro. Situado na casa de Gil Araújo Martins, nome de código Lemorai. (Viandante/Vagabundo)
Construtores: Lemorai, Joni Mane Mesak, Armando Ramahana, Silveiro Barros, Vergílio Araújo Taka Dalan, Bonifácio de Araújo Dadulas , Pedro Barros Berloik Haksolok, Amândio do Rosário, Marito da Conceição.
Utilizadores: Kay Rala Xanana Gusmão
Reabilitação: 2016, financiado pelo Estado da RDTL através do orçamento do AMRT. Implementado pelo AMRT.  Projeto incluiu reconstrução total do abrigo e construção de muro de retenção de terras.

Voltar